Categorias
Notícias

Obra na SP-225 dificultará entrar e sair da cidade

Agalmo Moro Filho

As obras de recapeamento da SP-225, que liga Aguaí a Pirassununga trará fortes mudanças em duas entradas de nossa cidade. Dessa forma, o recapeamento, que é uma obra muito importante para Aguaí, sob o ponto de vista segurança e também de desenvolvimento, com melhoria logística através da ligação em perfeito estado com as rodovias Anhangüera e Washington Luiz pode também gerar problemas de cara solução próximo ao trecho urbano do município.
O Correio de Aguaí teve acesso, com exclusividade, ao projeto da obra e apurou que o trecho ao lado da área urbana de Aguaí trará profundas mudanças em dois trevos de entrada da cidade, o localizado na Vila São José, (próximo à Paulispel) e o trevo localizado em frente à estação de tratamento de água-ETA (próximo ao antigo Clube da Saudade).
Em toda a sua extensão entre Aguaí e Pirassununga a pista será recapeada e em alguns trechos terá terceira faixa. Porém, conforme o projeto que está sendo executado, no trecho ao lado da área urbana de Aguaí, uma mudança que pode ser boa para a cidade, pode se tornar um empecilho, ou mais ainda, uma verdadeira trava ao desenvolvimento urbano da cidade.
Nesse trecho, a pista será dupla, com duas vias em cada sentido, divididas por um canteiro central de cerca de dois metros. E esse canteiro será o problema.
O trecho com pista dupla começará logo após um grande trevo que será implantado bem em frente à empresa Paulispel e segue até depois do trevo em frente à ETA.
Dessa maneira, como pista dupla, a estrada não permitirá que quem venha para Aguaí a partir de Pirassununga consiga entrar na cidade pelos trevos existentes na Vila São José e na ETA, uma vez que haverá um canteiro central.
O motorista terá que seguir até o trevo da SP-344, para retornar para a SP-225, em sentido Pirassununga, para então entrar em Aguaí através dos dois trevos, que permitirão a entrada e saída da pista, porém no sentido Aguaí-Pirassununga.
Também para quem sai da cidade o local ficará complicado. Um carro que, por exemplo, saia pelo trevo próximo à ETA, em sentido Mogi Guaçu, terá que seguir até o trevo em frente à Paulispel para fazer o retorno e voltar à SP-344, que leva à São Paulo.
A mudança nos atuais trevos também causará transtorno para quem segue de bicicleta ou a pé, ao distrito industrial 1, e futuramente a quem seguir nestes meios à fábrica da Unilever, que vai começar a produzir em 2015, uma vez que o local necessitará de passarelas. A previsão do término da obra na SP-225 é agosto de 2015.
Tal problema, assim que terminada a obra de recapeamento já criará o problema de segurança, que vai requerer que as passarelas já estejam prontas ligando a cidade ao distrito industrial 1 e à Unilever.

Trevos, pontes e passarelas
Com o novo desenho da SP-225, sendo pista dupla, e sem trevos, ela cria um gargalo para Aguaí, que pode custar milhões para solucioná-lo daqui poucos anos, desde que a cidade cresça em sentido àquela área. Tal gargalo não existe hoje, ainda que Aguaí já esteja ao lado de uma pista dupla (SP-344), isso porque existem duas passagens pela rodovia através de duas pontes, a Ponte Branca e a do trevo próximo ao Posto do Major.
Um exemplo do custo de solução de um gargalo desse tipo está em São João da Boa Vista, onde dezenas de milhões reais foram necessários para se fazer mais duas pontes (DER e próximo ao supermercado Big Bom) para ligar “dois lados” da cidade.
Diante do problema, é necessário que o poder público aguaiano busque contato com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), para uma possível melhoria no importante projeto. Isso pode se dar, por exemplo, através de mais um trevo em frente à ETA, lugar onde já existe um que será inutilizado. Aliás, no local onde existem três trevos será feito apenas um.
Além disso, é necessária obter uma garantia da construção das passarelas para ligação da cidade às indústrias com término juntamente com a obra da rodovia.

Categorias
Notícias

Farmacêutico poderá prescrever remédio que não exige receita médica; CFM vai recorrer

O Conselho Federal de Farmácia (CFF) publicou resolução na quarta-feira, dia 25, que permite ao profissional prescrever medicamentos que não necessitam de receita médica, como analgésicos e antitérmicos. De acordo com o conselho, a regulamentação será publicada amanhã (26). O farmacêutico poderá dar uma receita ao paciente orientando-o sobre qual remédio deve usar, a partir dos sintomas relatados, como febre, dor de cabeça e cólica. O Conselho Federal de Medicina (CFM) anunciou que vai questionar a medida na Justiça.

“Prescrever, conforme legislação específica, no âmbito de sua competência profissional”, diz a resolução publicada hoje. Segundo Walter Jorge João, presidente do CFF, a medida é um avanço para a população, que em vez de ir comprar o medicamento sem nenhuma orientação vai contar com a ajuda de um profissional, que também será responsabilizado pelas consequências de uma prescrição inadequada.

A resolução publicada hoje reforça o papel do farmacêutico nos cuidados à saúde do paciente, determinando que é função desse profissional participar de discussões de casos clínicos “de forma integrada com os demais membros da equipe de saúde” e analisar a prescrição de medicamentos nos aspectos legais e técnicos. A regulamentação, que será divulgada amanhã, prevê ainda que o farmacêutico poderá renovar a receita médica para pacientes da rede pública em situações específicas, como aqueles com doenças crônicas que precisam de medicação de uso contínuo. Esse dispositivo dependerá de regras e normas definidas pelo Ministério da Saúde.

Em nota, o CFM alega que os farmacêuticos não têm a autorização legal para receitar remédios. Na avaliação dos médicos, apesar de aparentemente simples, uma dor de cabeça pode ser o sintoma de um problema mais grave, como um acidente vascular cerebral, e portanto, é mais seguro que o paciente seja atendido por um médico.

Sobre renovação de receita médica, o CFM defende que o procedimento deve ocorrer somente após uma conversa entre médico e paciente, quando o médico saberá se o remédio, indicado em um momento anterior, pode ser interrompido, ter a dosagem alterada ou seguir com a prescrição inicial.

Para alguns conselheiros do CFM, a resolução do CFF incentivará a automedicação, pois leva o doente a não procurar o médico, resolvendo os sintomas no balcão da farmácia, sem procurar saber as causas.

A entidade médica citou, na nota, pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação no Mercado Farmacêutico mostra que 61% dos entrevistados discordaram da possibilidade de farmacêuticos receitarem remédios e 58% não confiam em prescrições feitas por farmacêuticos. (agência Brasil)

 

Categorias
Notícias

ACE Aguaí fala sobre impedimento da “feirinha da madrugada”

Eu Wanderley Campos, gerente da ACE, estive reunido com o Promotor de Justiça Dr. Rodrigo Cambiaghi, no dia 23/08, para tratar de assunto referente a feirinha da madrugada e a pedido de alguns comerciantes, novamente compareci, no dia 13/09, acompanhado dos diretores da ACE Adriano (Opção Jeans), Marcos (Brucai Calçados), Pitu (Aguamar), Waldomiro (Strategic) e Silvana e Rômulo (Silvana Modas) e ainda o Adauto, Diretor do Departamento de Esportes da Prefeitura Municipal. Estivemos reunidos com a Promotora de Justiça para tratarmos de assuntos referentes à vinda da feirinha da madrugada para nossa cidade, que está programada para o próximo mês de outubro.
A promotora substituta nos orientou como deveremos proceder para impedir que essa feira ocorra novamente em nossa cidade, visto que foi negado, pela prefeitura, o Alvará de funcionamento.
Queremos tranquilizar nossos associados, uma vez que estamos tomando todas as providências possíveis para proteger o comércio local e, principalmente nossa cidade, já que esse tipo de feira não traz nenhum beneficio para o município.

Wanderley Campos – ACE

Categorias
Notícias

Unesp, agora com campus na região, abre inscrições para vestibular

A Universidade Estadual Paulista (Unesp), que agora conta com um campus em São João da Boa Vista, com o curso de Engenharia de Telecomunicações, abriu as inscrições para o vestibular 2014 na segunda-feira, dia 16. Neste ano, a taxa é de R$ 130. A inscrição deve ser feita até o dia 15 de outubro nos sites vunesp.com.br e vestibular.unesp.br.
As provas da Unesp são realizadas em duas fases. A primeira etapa será realizada no dia 17 de novembro (primeira fase, com 90 questões de múltipla escolha), em 32 cidades paulistas (além das 23 onde há cursos. A segunda fase será aplicada nas mesmas cidades, nos dias 15 e 16 de dezembro (segunda fase, com questões dissertativas e redação). O resultado final será divulgado em 27 de janeiro de 2014.
Neste ano, a Unesp anunciou que vai reservar 1.134 das 7.259 vagas do vestibular 2014 para candidatos que tenham feito integralmente o ensino médio em escola pública. Entre as vagas reservadas, 391 são destinadas a candidatos que se autodeclararem pretos, pardos ou indígenas. A reserva corresponde a 15% das vagas oferecidas e serão aplicadas para cada curso e turno. A Unesp vai aumentar gradualmente a reserva de vagas para cotistas até 2018: 15% (2014), 25% (2015), 35% (2016), 45% (2017), 50% (2018).
De acordo com a universidade, o preenchimento das vagas seguirá a ordem de classificação do vestibular e, a cada ano, o Conselho Universitário fará uma avaliação da metas e das estratégias estabelecidas. Todos os 171 cursos, disponíveis em 23 cidades e oferecidos para ingresso no primeiro semestre de 2014, dispõem de vagas destinadas ao programa. Medicina, em Botucatu, reserva este ano 14 de suas 90 vagas.  Agronomia, de Jaboticabal, reserva 15 de suas 100 vagas.

São João
O curso de Engenharia de Telecomunicações que conta com 40 vagas em São João da Boa Vista, é em período integral, com duração de 5 anos e carga horária de 3.915 horas-aula.  O curso é reconhecido pelo MEC e a primeira turma ingressou pelo Vestibular Unesp 2013.
O curso de Engenharia de Telecomunicações trata de conceitos aplicados aos sistemas eletrônicos, computacionais e de
comunicações que permitem entender e projetar sistemas relacionados a: telefonia fixa e celular; sistemas de rádio e  televisão; comunicações por satélite; comunicações através de fibras ópticas; comunicações via rádio; redes de computadores e internet.
O curso trata de conceitos aplicados aos sistemas eletrônicos, computacionais e de comunicações que permitem entender e projetar sistemas relacionados, dentre vários, a: telefonia fixa e celular; sistemas de rádio e televisão; comunicações por satélite; comunicações através de fibras ópticas; comunicações via rádio; redes de computadores e internet; etc.
Para tal, são estudadas disciplinas de formação básica, como cálculo, física, álgebra etc; e disciplinas profissionalizantes, tais como, eletrônica analógica e digital; antenas e propagação de ondas eletromagnéticas; telefonia; sistemas de comunicações analógicos e digitais; instrumentação aplicada às telecomunicações; microprocessadores; circuitos para comunicações, regulamentação do setor.

Categorias
Notícias

Justiça bloqueia bens do ex-prefeito Gutemberg

O ex-prefeito Gutemberg de Oliveira (PPS) teve parte dos bens bloqueados através de tutela antecipada a pedido do Ministério Público em função de uma ação civil pública objetivando o reconhecimento dos atos imputados ao requerido como de improbidade administrativa.
A indisponibilidade dos bens é até o limite do valor da causa de R$ 61.282,52 e visa possibilitar o cumprimento de eventual execução e ressarcimento de prejuízo sofrido pelo erário público em razão da ação intentada.
Conforme a decisão judicial, para que haja a concessão de uma tutela antecipada, mister se faz a conjugação dos requisitos do artigo 273 do Código de Processo Civil: a existência de verossimilhança das alegações, por intermédio de prova inequívoca, e fundando receio de dano irreparável ou de difícil reparação. “Os documentos apresentados às fls. 85/87 e fls. 92/94 demonstram, neste juízo de cognição sumária, a existência de verossimilhança das alegações apresentadas pelo Parquet, dando conta do descumprimento pelo requerido, na qualidade de então Prefeito deste Município, das decisões judiciais exaradas pelo MM. Juízo Trabalhista, o que gerou um acúmulo vultuoso de multas por descumprimento, que indicam o prejuízo ao erário noticiado na petição inicial”, diz a liminar.
Segue ainda o juízo, que “comprovadas ao final as alegações do Ministério Público, os atos imputados ao requerido terão gerado dano ao patrimônio público a ser ressarcido. O receio de dano irreparável igualmente resta caracterizado nesses autos, vez que a concessão da medida apenas ao final da ação pode ocasionar a ocultação de patrimônio apto a ressarcir as lesões sofridas. Assim, a indisponibilidade dos bens por intermédio da antecipação dos efeitos da tutela jurisdicional visa coibir a dilapidação patrimonial durante o trâmite processual, fato que ensejaria a ineficácia da sentença de mérito”, fundamentou o juiz.

 

Categorias
Notícias

Universitários podem se inscrever até esta sexta-feira para o Escola da Família

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo convoca 7 mil universitários, sendo mais de 900 deles da região de Campinas, para atuarem no Programa Escola da Família. As vagas fazem parte do Bolsa Universidade, projeto que custeia integralmente a mensalidade do curso superior dos estudantes que atuam nas programações gratuitas oferecidas nas 2.300 unidades de ensino que ficam abertas aos finais de semana. Os interessados podem se candidatar até o dia 13 de setembro, sexta-feira. A participação dos novos bolsistas terá início no dia 5 de outubro.

Atualmente, cerca de 15 mil universitários são beneficiados com o Bolsa Universidade e até o final do ano serão 22 mil bolsistas que participam das atividades de saúde, esporte, cultura e trabalho oferecidas a toda comunidade escolar. Em 2014, o número de vagas será ampliado em 59% e, no total, serão 35 mil participantes.

No ano que vem também, o Bolsa Universidade terá outras novidades. A carga horária dos bolsistas será reduzida e ao mesmo tempo o valor do repasse vai aumentar.  Hoje, o universitário atua 12 horas, divididas em 6 horas tanto no sábado quanto no domingo. Com a mudança, o bolsista cumprirá apenas 8 horas de atividades na escola, podendo escolher o sábado ou o domingo.

Já a verba por aluno repassada pela Educação passará de R$ 310 para R$ 500. Com o aumento da bolsa, os estudantes de cursos de licenciatura poderão ter o ensino superior integralmente custeado pela Secretaria da Educação, no caso de mensalidades até R$ 500. Para outros cursos, o estudante contemplado também recebe bolsa integral, com 50% da mensalidade (até R$ 500) custeada pela Secretaria da Educação e o restante completado pela instituição de ensino superior parceira.

“O universitário é um elo importante com a comunidade escolar, que atua nas programações de qualidade oferecidas pelas escolas da Família. Além disso, por meio do Bolsa Universidade, a Secretaria contribui para aumentar o acesso dos nossos jovens ao ensino superior e, ao mesmo tempo, fortalece a qualidade social das nossas escolas”, afirma o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.

Para se candidatar, o universitário precisa estar regularmente matriculado em uma instituição de ensino superior conveniada ao Programa, não receber outra bolsa, financiamento ou similar, proveniente de recursos públicos e ter disponibilidade para atuar como educador universitário aos finais de semana. A bolsa tem validade de um ano. Mais informações http://www.educacao.sp.gov.br/escoladafamilia/bolsa-universidade

escola da familia